Deus é um Alquimista: Alegoria Filosófica (Portuguese Edition) por Ema Alves

Deus é um Alquimista: Alegoria Filosófica (Portuguese Edition) por Ema Alves
Titulo del libro : Deus é um Alquimista: Alegoria Filosófica (Portuguese Edition)
Fecha de lanzamiento : October 24, 2018
Autor : Ema Alves
Número de páginas : 209

Deus é um Alquimista: Alegoria Filosófica (Portuguese Edition) de Ema Alves está disponible para descargar en formato PDF y EPUB. Aquí puedes acceder a millones de libros. Todos los libros disponibles para leer en línea y descargar sin necesidad de pagar más.

Ema Alves con Deus é um Alquimista: Alegoria Filosófica (Portuguese Edition)

A ideia deste livro surgiu há muito tempo atrás. Numa manhã do ano 2000, enquanto lia muito sobre o processo alquímico para a obtenção da pedra filosofal, descobri que todos os textos que explicavam esse processo estava de alguma forma velada ao comum dos mortais.
Digo velada, porque para os antigos alquimistas, deter essa sabedoria poderia ter consequências desastrosas. Como se sabe hoje em dia, todo o avanço tecnológico tem sempre um lado bom e um lado mau. E pela falta de consciência humana, ou talvez pela sua eterna busca pelo poder, normalmente tudo é usado no sentido bélico e consequente autodestruição.
Imaginem que o processo, de obter uma substância que cura todos os males e ao mesmo tempo transformava em ouro qualquer metal não precioso, estava à mercê da Humanidade?
A morte quase que em primeira instância deixaria de ser uma verdade incontestável. No entanto a longo prazo conduziria a um aumento exponencial da população. Os recursos naturais seriam esgotados e todos morreriam de fome. O ouro deixaria de ter valor, a economia iria colapsar e a extinção seria inevitável. É por isso que todo o Alquimista escondia o método de adquirir essa pedra vermelha viva, em notas que só ele compreendia. E normalmente era sempre através de uma tradição… a tradição de narrar em alegorias os componentes usados e todos os passos do processo como se fosse uma simples obra literária. Cada componente era personificado e cada processo tinha um nome, como o Casamento “quando as duas matérias iniciais se uniam”, ou a morte “quando as duas matérias pareciam morrer no meio do processo”.
Esta foi a estória que engendrei quando na busca da minha pedra filosofal ia tirando notas dos resultados obtidos.